teste

terça-feira, 5 de julho de 2016

CASO NEGO POM: Polícia prende primeiro suspeito de matar dançarino da ‘Ghetto é Ghetto’



A polícia prendeu na noite desta segunda-feira (4/7) um dos supostos envolvidos no assassinato de Nego Pom, o dançarino e backing vocal da banda de pagode ‘Ghetto é Ghetto’. O criminoso, identificado como Luan Marques Sampaio, 18 anos, conhecido como “Marreta” foi flagrado por policiais da 19ª CIPM, realizando um assalto no bairro de Paripe, no Subúrbio de Salvador.
Marreta agia com o comparsa Tiago dos Santos Bezerra, de 22 anos. A dupla assaltava um motociclista quando foi surpreendida pela PM. Os bandidos foram presos e encaminhados para o Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), já que Marreta vinha sendo procurado como suspeito no ‘Caso Nego Pom’.
De acordo com a coordenação do plantão do DHPP, Marreta confirmou sua participação no crime que vitimou fatalmente o músico e deve ser apresentado, ainda nesta terça-feira (5/7) à imprensa.
O crime aconteceu no último dia 22 de junho na Rua Nova Constituinte, no bairro de Periperi, em Salvador, onde de acordo com a polícia, existe um ponto de tráfico de drogas. Segundo alguns amigos, Marcos Vinicius Santos de Jesus (Nego Pom) teria ido ao bairro fechar um contato de show para a banda Hit Halls, da qual é produtor, quando sofreu agressões físicas: ele levou tiros na cabeça, tórax, abdômen e braço; além de pedradas e pauladas. 
A barbárie deixou vozes do pagode embargadas. Artistas e amigos de Nego Pom gravaram vídeos com depoimentos emocionados, cobrando justiça para o caso. O enterro de Pom aconteceu durante a véspera do São João sob clima de muita comoção e protestos. Muitos fãs foram até o Cemitério Municipal de Pirajá para se despedir do ídolo.

0 comentários:

Postar um comentário

Facebook Favorites More